sábado, 25 de outubro de 2008

DELIRIOS Á LUZ DO LUAR...


Chove lá fora...
Noite fria a caminho dos desejos mais quentes...
Fotografas-me com o seu olhar penetrante,
Começas a despir-me bem devagarinho...
Fincas seus dentes de levinho na minha carne,
Selas com tua língua minhas fendas.
Governas meus instintos avassaladores,
Estás louco, atrevido, descarado!
Exalas pouco a pouco um tesão ímpar
És um lobo faminto!
Deixamos fluir nossas fantasias...
Meu corpo incendeia e vibra ao seu toque
Proca-ne sensações e frêmitos,
Cravando tua espada em meu ventre!
Mergulhas tão fundo em mim
Que consegues tocar até a minha alma!
Nossas boucas loucas soltam serpentes inquietas!
Enquanto nossos corpos gozam em cumplicidade...
Na luz do luar nosso amor é sacramentado!!!

8 comentários:

João disse...

Sua flor aberta a esperar o beija-flor...


Beijos calados do anoitecer, com medo, medo...Princesa!


Cuida de mim, por favor!


Teu escravo muito triste...

João

Carlos disse...

Amiga quero felicitá-la pelo seu aniversário que tenha muita saúde e seja muito feliz junto do seu amor
vosso admirador
Carlos

Princesa disse...

Olha João se estivesse mais perto de mim eu cuidava de ti acredita que já tinhas deixado de deixar certos comentários no blog tal não era o tratamento que levavas já tinhas perdido o piu rsrsrsrs

Princesa disse...

Obrigado Carlos pena não serem todos como você mas infelizmente há por aí muitos porcos
mais uma vez obrigado

ANJO disse...

Joao>
Estas muito romantico com minha princesa,secalhar pensas que me fazes ciumes rsrsrsrs,eu por estar longe confio nela,ela nao cuida de ti nao,ela cuida de mim todo tempo.
ANJO

ANJO disse...

Carlos,obrigado,e vc que seja muito feliz tambem.

ANJO disse...

MINHA PRINCESA..
Em mil delírios roucos te abraço
sentindo o tremor do teu corpo,
ás vezes me entristeço nos compassos,
sentindo o amargo gosto do adeus.

Sem flecha, sem arco, sou seu índio
das terras onde a guerra se findou,
sem medo, nem temor, sou seu gemido
no espaço em que teu braço me cercou.


Não quero mais saber da boemia
se em casa tenho o gosto de viver
e junto ao gozo, toda a alegria
de ser amado e de te pertencer.


Fingindo ser criança sou teu homem
e nos teus seios perco a minha idade,
deitando em nossa cama sou selvagem,
menino delirando de saudade.


E de manhã acordo em tua nudez
querendo novamente anoitecer,
para afogar de vez estes desejos
que me pintam para a guerra do prazer.


Nas ruas, de você não me despeço,
para sentir que estou sempre junto a ti;
a noite vem chegando pouco a pouco
e sem perceber eu já fugi.....
fugi da vida para os teus braços,
que ardentes me afagam sem cessar;
e no amor, as luzes adormecem,
criança sou de novo a delirar.
ANJO

Princesa disse...

Lindo meu Anjo sabes que te adorro a cada momento que passa te amo mais e mais
um beijinho grande