quinta-feira, 20 de novembro de 2008

**#** TENHO MEDO **#**





Tenho medo da dor de tua ausência

que me queima por dentro.

E da ternura eu tenho medo,

dessabeleza das noites secretas

quando chegas sempre como se fosse a única vez.

Tenho medo de que um dia queiras

cessar esse rio de águas ardentes

onde mais do que os corpos

tocam-se as almas,

anjos desatinados luzindo no breu

6 comentários:

Renato disse...

Não tenhas medo minha Rainha porque o teu rei Renato estárá sempre a teu lado para te proteger das garras desse gato maltez, sim isso não é um gato normal é um diabo, não dês confiaça a tal coisa isso é mesmo uma coisa reles manda-o pastar bois para a terra dele

Zeca disse...

assim vamos vivendo
sem nada exigir ou perguntar
eu te amando e querendo
teu mistério desvendar!

Anjomenina disse...

Está visto... estes cromos ainda continuam numa de coro.... será que eles nunca mais se tocam... já que não tem respeito... nominimo deem-se ao respeteito.
Ai amiga... não sei como continua a aturar estes cromos.
Beijinhos grandes

Romeu disse...

Renato.
Tu e que es um bom boi,e te mando pastar aqui nos campos do brasil imenso,tem muita comida seu boi cornudo.

Zeca.
Sonha sonha,cantas tao bem,mas essa musica e velha pa.
Pois e ANJOMENINA,estes caes nao desaparecem,sao rafeiros mesmo,e vao sonhando rsrsrsrs.
ROMEU.

Princesa disse...

e quem te disse que eu tinha medo seu burro quais rei qual quê tu és um monte de merda assim como o zeca que nem sabe dizer nada vai a net e tira o primeiro escrito que vê até nisso é burro e depois nem entende o que escreveu, pois nem é para ele entender

Anjomenina disse...

é verdade amiga... acho que ele só tirou mesmo o final do verso... nem reparou que existia mais quadras acima... é o que se chama de santa ignirancia... burrice total.