terça-feira, 5 de outubro de 2010

~~º~~ Tem certas horas ~~º~~


Tem certas horas
Que meu coração
Não cabe em si
Implode em sonhos
Expande-se em desejos
Voa, viaja, canta uma canção

Alcança o delírio e de repente
Eu sou as estrelas, a lua, o mar
A onda. Onda...
Onda que vem grande e delicadamente se quebra
Indo de encontro à areia onde teus pés pisam
Refrescam o calor vulcânico,
Que é teu coração
Teu tesão
Meu arrastão
Volto como espuma..
Você como bruma...

2 comentários:

silvo disse...

Me gusta el poema, la onda y donde rompe, bijinhos Princes

Mulher Abstrata disse...

Que beleza de poema

Uma delícia MY ANGEL


Vim te ver e deixar meu abraço de carinho