terça-feira, 10 de agosto de 2010

~~º~~ Amo-te a cada cair da noite ~~º~~


Amo-te a cada cair da noite que me acusa.
Cai em mim o escuro, o negro que provo sem recusa.

Dá-me a tua mão, o teu braço, o abraço.
Esquece o cansaço do bater do teu coração
preso na minha mão.

Amo-te a cada cair da noite que de mim abusa.
Cai em mim o silêncio, essa palavra que me usa.

Abre a tua mão, o peito, fico sem jeito.
Esquece o efeito do não que plantei na trilha
das linhas da tua mão.

Amo-te a cada cair da noite…
Janela dos sonhos que sonhas.
Sonho lá entrar.

2 comentários:

Victor Gil disse...

Olá Princesa e minha querida amiga.
Lindo, lindo, lindo. Não sei mais que dizer. Estas palavras encadeiam-se num sinuoso enredo que me emocionou.
Beijos amiga.
Victor Gil

silvo disse...

Precioso amor y precios poema, um beijo